Vento a favor!

Vento a favor!

Quem nunca reclamou do vento? O vento que traz a poeira que cobre a varanda, que traz a chuva, que balança as janelas, que desarruma o nosso cabelo, que levanta a nossa saia. Quer um conselho? Deixe de reclamar. O vento é o ar em movimento e só isso dá a ele uma magia que deve ser reverenciada.

Claro que ele tem lá seus rompantes. Sua fúria, seu assobio, às vezes, um pouco mais alto. Tudo bem que ele seja amigo dos trovões e das tempestades, mas ele traz também a brisa do mar, o farfalhar das folhas secas, a fresca da tarde, o vento é tudo de bom.

Aprendi a valorizar o vento, de um jeito muito duro. Algumas pessoas sabem que eu perdi uma irmã quando ela tinha apenas 32 anos. Hoje, oito de abril de 2016, faz três anos que ela se foi. Mas antes de ir, ela sofreu muito.

A doença renal crônica transformou a vida dela em algo quase insuportável. Dias e dias de hemodiálise, entradas e saídas de UTIs. No final, ela dependia de uma cadeira de rodas ou de um colo para ir e vir. Até que um dia o corpo sofrido entrou em colapso. Ela saiu de casa pra não voltar mais. Apesar da pressão arterial quase nula, da taxa de potássio na estratosfera e tudo mais, no caminho até o hospital, o último passeio, ela pediu ao meu tio, que dirigia o carro: “Tio abra o vidro, quero sentir o vento.” Imagine você, uma pessoa que sabia que o tempo estava acabando, pedir apenas pra sentir o vento.

Não é “apenas”, o vento é o ar em movimento, é vida que abraça o corpo, invade as narinas, faz cócegas nas orelhas, acaricia os cabelos.  Por isso, aproveito essa última lição que a caçula nos deixou. Em vários momentos me pego pensando  nela e abro o vidro do carro pra sentir o vento. Porque ela me ajudou a perceber que Deus está nas coisas mais simples e a alegria também. O vento está sempre a seu favor, e as vezes ele vai soprar uma saudade no seu coração. Mas saudade inté que é bão

Autor

Marilucy Cardoso

Marilucy Cardoso

Jornalista, mãe, canceriana, nascida em 1973, cheia de histórias para contar e suja algumas panelas nas horas vagas.

Relacionado

Comentários

  • Zélia Castro Zélia Castro abril 08, em 22:52

    Realmente , o vento tem seu lado bom e seu lado ruim,mas no momento em que íamos para o hospital ,a falta de ar que sentia era tanta que ela não percebeu que eu já havia aberto o vidro para que ela pudesse respirar melhor.Naquele momento o vento quanto mais forte soprasse ai da não era o suficiente para a necessidade dela.Seu texto está lindíssimo e confortante!

    Responder
    • Marilucy Cardoso Marilucy Cardoso abril 08, em 22:57

      Obrigada Tia Zélia, não só pelas palavras, mas por estar sempre por perto, UM grande beijo!

      Responder
  • Silvana Miranda Silvana Miranda abril 08, em 23:05

    Deus põe tanta coisa boa na vida da gente, que muitas vezes precisamos passar por um momento tão difícil pra parar e pensar. Seu texto fez isso comigo! Parei pra pensar... Que o vento te traga coisas boas. Parabéns.!

    Responder
  • Tamara redeschi Tamara redeschi abril 08, em 23:31

    Adorei o texto ,parabens ,muito profundo,sem machucar....na medida certa....

    Responder
    • Marilucy Cardoso Marilucy Cardoso abril 08, em 23:33

      As boas lembranças ajudam a chegar a essa medida, profundo sem machucar! Obrigada pelo carinho e pela visita! Um bj

      Responder
  • Luciana Valladão Luciana Valladão abril 08, em 23:59

    Vai escrever bem lá em casa sobrinha danada de engraçada e de muito amor misturado com muita tristeza. Respeito profundo por você beijooo

    Responder
    • Marilucy Cardoso Marilucy Cardoso abril 09, em 06:40

      Tia, o texto só nos dá ainda mais certeza do quanto ela gostava de viver! Obrigada e um grande beijo!

      Responder
  • Tatiana Tatiana abril 09, em 00:07

    Simplesmente emocionante!!! Parabéns Marilucy!!!

    Responder
  • Angelica Longo Angelica Longo abril 09, em 00:33

    Mais um texto lindo! Sempre amei o vento mas sei que vou sentir diferente amanhã, sou grata por te acompanhar...bjo

    Responder
    • Marilucy Cardoso Marilucy Cardoso abril 09, em 06:43

      Gratidão pelo carinho Angélica!Um bj enorme pra vc que também vive sentindo essa brisa boa da saudade!

      Responder
  • Maria Laura Maria Laura abril 09, em 00:41

    Que texto lindo. Parabéns!

    Responder
    • Marilucy Cardoso Marilucy Cardoso abril 09, em 06:44

      Muito obrigada Maria Laura, é uma história de vida que ajuda a gente a viver melhor! Um bj

      Responder
  • Elizete Elizete abril 09, em 07:50

    Amiga, entendo perfeitamente seu texto. Lindo e emociona a todos. Sua leveza para falar das dores me encanta. Nunca mais o vento vai ser o mesmo para mim. Amo você. Mil beijos

    Responder
    • Marilucy Cardoso Marilucy Cardoso abril 09, em 08:04

      E você vai ver que o vento vai ficar cada dia melhor e a vida ainda mais feliz de se viver com o coração cheio de gratidão! Um bj e obrigada pela amizade

      Responder
  • Cláudia Macedo Cláudia Macedo abril 09, em 07:57

    Lindo texto!!!! Parabéns!!!!!

    Responder
  • JOSE BENEDITO SALES JOSE BENEDITO SALES abril 09, em 10:22

    SIMPLESMENTE DIVINOSO,, MARILUCY.

    Responder
    • Marilucy Cardoso Marilucy Cardoso abril 09, em 14:36

      Obrigada querido, pelo carinho pela visita e claro pela amizade com todos da minha família!

      Responder
  • Lívia Piza Lívia Piza abril 09, em 10:42

    E ela deixará muitas saudades... Texto lindo!!! ⓑⓔⓘⓙⓞⓢ

    Responder
    • Marilucy Cardoso Marilucy Cardoso abril 09, em 14:36

      Verdade Lívia, fica uma saudade do tamanho do mundo, mas ela nos aquece o coração e nos dá a certeza de que vai haver reencontro! Bus

      Responder
  • Marcos Paulo Marcos Paulo abril 09, em 11:27

    Marilene, sardentinha, alegre e risonha, deixou além da saudade e um novo modo de encarar as dificuldades da vida, deixou em nós boas lembranças e uma ânsia de viver sempre cada dia de uma vez. Saudades!

    Responder
    • Marilucy Cardoso Marilucy Cardoso abril 09, em 14:35

      A sardentinha alegre, disse tudo. A garota gostava da vida e a gente tem sempre que aprender com pessoas assim! Ficou uma saudade boa! Obrigada pelo carinho

      Responder
  • Laura Láua Laura Láua abril 09, em 14:27

    Suas palavras "sopram" fortes lembranças e muitos ensinamentos...obrigada por esse vento que nos faz parar e refletir...

    Responder
    • Marilucy Cardoso Marilucy Cardoso abril 09, em 14:34

      E são esses ventos nossos melhores guias, querida Maria Laura! As perdas são inevitáveis e é preciso guardar luto, viver as lembranças e celebrar o tempo vivido! Um bj grande pra vc!

      Responder
  • Edson Antunes Edson Antunes abril 09, em 15:32

    Sublime como o próprio vento!

    Responder
  • Claudia Claudia abril 09, em 17:28

    E é uma verdade, que em determinados momentos o vento trás calma e confiança ! Lindo Mari!

    Responder
  • Margareth Rezende Roque Margareth Rezende Roque abril 09, em 22:43

    Farei isso amanha! Vou contemplar o vento desta maneira....pelos poros....que emocionante! Foto linda dela, no auge da felicidade com o filhão! Era tambem uma canceriana! Dia 17/07. Junto comigo! Ja tomamos todas certa vez! Depois cada uma no seu rumo e pouco nos vimos....Leitura das boas!

    Responder
    • Marilucy Cardoso Marilucy Cardoso abril 11, em 15:45

      Oi Margareth, cancerianos não faltam lá em casa, dos 5 filhos 4 são canceriano. E não se esqueça, quando sentir o vento, aproveite pra se lembrar dessa bela lição! Um grande bj

      Responder
  • Marcia Marcia abril 10, em 08:32

    Mary... fez uma gemiana ficar sem palavras.... Beijos

    Responder
  • Irene Fernandes Irene Fernandes abril 10, em 16:56

    Marilucy obgda pelo carinho com sua irmã ela foi minha aluna e eu conservo a menininha que ela era a vontade sempre foi de pega-la no colo e rodar o pião com ela mas o vento trás surpresas e foi numa dessas surpresas que a perdemos mas temos alguém que está rodando o pião conosco bjs

    Responder
    • Marilucy Cardoso Marilucy Cardoso abril 11, em 15:43

      Ela está só cuidando de todos nós lá em cima, professora! Um prazer receber sua mensagem e muito obrigada pelo carinho com a nossa caçula! Um bj

      Responder
  • luciene luciene abril 10, em 20:29

    Lindas palavras...... Até me emocionei.... Sdds eterna da nossa Marileny.... Uma amiga mega geniosa mas porém com o coraçao de ouro...????

    Responder
    • Marilucy Cardoso Marilucy Cardoso abril 11, em 15:42

      O coração era maior do que ela mesma, né Luciene? Faz muita falta por aqui! Um bj e obrigada pela amizade com ela e a visitinha aqui no Blog!

      Responder
  • Bere Bere abril 11, em 07:58

    Querida lindo o que vc nos deixo participar desta sua emocao misturada a dor . Sua irma era linda . Deixo um lindo filho . Beijos com muitos ventos a nos soprar

    Responder
    • Marilucy Cardoso Marilucy Cardoso abril 11, em 15:41

      Obrigada pelo carinho Berê. Acho que essa lição a gente precisa espalhar por aí! Um grande beijo

      Responder
  • Fiquei emocionada ao ler esse lindo texto, Até chorei, imaginando como deve ter sido difícil para vocês ....saudades....vou me lembrar de vocês quando sentir o vento. Bj

    Responder
    • Marilucy Cardoso Marilucy Cardoso abril 14, em 20:59

      Lembre-se sim Cláudia e lembre-se também que as coisas mais importantes são as mais simples e essenciais! Um grande bj e obrigada pelo carinho!

      Responder
  • Carla Carla maio 28, em 15:51

    Me emocionei!! De verdade!! Com ternura!! Lindíssimo o texto é o ensinamento da caçula!! Obrigada por dividir!!

    Responder
    • Marilucy Cardoso Marilucy Cardoso maio 28, em 18:40

      Nada como o vento pra levar o que não serve mais e trazer aquilo que estamos de fato precisando... Mesmo que a necessidade seja apenas sentir o vento no rosto! Um bj querida

      Responder

Deixe o seu comentário