A morte é essencial!

A morte é essencial!

A morte é essencial! Foi na cadeira de dentista, sem mais nem menos, que ouvi essa frase. Não como uma sugestão, mas como uma sentença! Em seguida veio a explicação: Se a morte não existisse, viveríamos sem medo, sem certeza

Ausência…

Ausência…

A tradução mais dura de ausência é a MORTE.É o que não tem remédio e remediado nunca estará. Um pulo no escuro, onde nem um eco se ouve. O que é doce se acaba e ponto final. A morte é

MARIA BONITA FOI PARA O CÉU!

MARIA BONITA FOI PARA O CÉU!

Imagine uma menina franzina, dona do nariz mais arrebitado e sardento do mundo, aos cinco anos, que resolveu apertar o gatilho de um revólver calibre 38, numa manhã de sábado qualquer e com isso ganhar o apelido de Maria Bonita.

Não compartilho e pronto!

Não compartilho e pronto!

As pessoas perderam a noção! Isso pra dizer o mínimo! O cidadão faz check-in em cemitérios e hospitais, posta fotos com parentes à beira da morte, aliás, a imagem do soro na veia já é um clássico, dá um “curtir”

Quando um filho nasce!

Quando um filho nasce!

Agora, que o tempo passou, que os pontos das cesarianas só doem quando vem chuva grossa, consigo enxergar com mais clareza, o que acontece quando um filho nasce. A gente se engana. Sim, mães se enganam. Espero que meus filhos