O natal mudou!

O natal mudou!

Eu não falei do espírito natalino, eu disse que o Natal mudou! Explico: Ao longo da vida o Natal vai ficando diferente. Primeiro, ele é um sonho de criança, e sonhos de criança são os melhores pra se sonhar… É quando a gente passa o mês de dezembro contando os minutos de cada dia. É quando a cartinha ao Papai Noel é o principal compromisso da vida. E o que dizer da espera? O que dizer do encontro inesperado com o bom velhinho no coreto da cidade com aquele saco de balas? É tudo lindo. No meu caso eram dois natais, um na casa da família do meu pai e outro na casa da família da minha mãe. O dia 24 era pequeno pra tanta alegria. Nesse Natal, a gente nem liga para as comidas, o paladar infantil, dificilmente se dobra ao sabor das uvas passas, fios de ovos e abacaxis que se misturam as carnes suínas e a farofa. O que importa é a árvore de Natal, os pacotes coloridos embaixo dela, o rasgar das embalagens, a estreia dos brinquedos com os primos e dormir de madrugada com a cama rodeada pelos presentes.

Vem o segundo Natal, o da adolescência, viramos peças importantes no amigo oculto dos adultos, o número de presentes diminui, a ceia passa a ser mais interessante, Papai Noel já é visto com desconfiança, mas a alegria é a mesma, mais uma “Noite Feliz” no calendário.

Vem então o terceiro Natal, esse dura uma eternidade… A gente é adulto, os filhos são pequenos. A sua maquiagem vai ser feita as pressas, a roupa fica amassada, porque tem sempre um bebê no colo. Vai ter de descer o carrinho, o bebê conforto, a bolsa com fralda, lenços umedecidos, mamadeira e papinha. Mal vai conversar com os primos, que vivem o mesmo perrengue. A família cresceu demais, tem os genros, as noras. O bom desse Natal é quando as crianças dormem e chega a hora da ceia. A gente passa a amar o cardápio todo, do pernil ao tender, inclusive as receita que misturam salgado e doce, sem esquecer das sobremesas. Antes de ir embora, será preciso juntar o presente da criançada, com cuidado para não deixar nenhuma pecinha ou pilha para trás. Sair de fininho, pedindo a Deus que eles não acordem… Dizem, que eles crescem logo, mas não é bem assim, serão muitos natais em função da festa da criançada, mas passa!

E aí, você vai ter o Natal que eu tive esse ano! Os filhos crescidos, você com uma prática danada de pensar um cardápio possível, porque afinal você trabalha, no meu caso, inclusive, na véspera e no dia de Natal. Mas vai ser Natal. Vai ter amor, vai ter encontro, vai ter presente e vai ter uma paz e uma cumplicidade muito grande entre você e os seus filhos. Parece que finalmente, nós estamos falando a mesma língua. Eles não comem mais cedo do que os outros convidados e nem pedem um prato de arroz, feijão e bife. Esse ano eles brindaram com espumante, participaram da conversa, estavam lindos e cheirosos e mantiveram o espírito de Natal, agradecidos pelo Cristo salvador e unidos, dando sentido a palavra família. Não sei se eles sabem… Mas, logo o nosso Natal vai mudar de novo!

Autor

Marilucy Cardoso

Marilucy Cardoso

Jornalista, mãe, canceriana, nascida em 1973, cheia de histórias para contar e suja algumas panelas nas horas vagas.

Relacionado

Comentários

  • Márcia Floriano Márcia Floriano dezembro 27, em 10:46

    Lindoo!!! Lindooo!!

    Responder
  • eLizete eLizete dezembro 27, em 11:19

    Essa é minha amiga, que mesmo trabalhando não deixa de curtir o Natal, e na principal companhia "seus filhos". Te admiro muito!!! Bjs

    Responder
    • Marilucy Cardoso Marilucy Cardoso dezembro 27, em 14:51

      Admiração mútua! Amizade que faz um bem danado! Feliz Natal minha amiga querida e feliz 2016! Bj

      Responder
  • Você como sempre traduzindo nossos sentimentos em palavras doces e cheias de significado e coração !!! Não tem como não me emocionar... Feliz Natal querida Marilucy e família e que seu 2016 seja maravilhoso !!! Bjs

    Responder
    • Marilucy Cardoso Marilucy Cardoso dezembro 28, em 12:59

      E você sempre gentil e presente aqui no Bolonhesa! Fico muito grata e que venha um 2016 cheio de receitinhas e textos pra gente refletir! Um grande bj

      Responder
  • Eliana valadao Eliana valadao janeiro 09, em 20:28

    Lindo Muruca adorei o seu texto,vc esqueceu de contar que todos esperaravao a sobremesa principal a pavê da mamãe bjs

    Responder
    • Marilucy Cardoso Marilucy Cardoso janeiro 11, em 23:34

      Verdade Tia Eliana. Mas vó Cecy deixava o sabor do nosso Natal inesquecível! Era muita felicidade! Um bj adorei a sua visita!

      Responder

Deixe o seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.