Filhos: antes ou depois?

Filhos: antes ou depois?

Antes ou depois de quê? Hoje em dia parece que os filhos só podem chegar depois de tudo! Tudo mesmo… Depois da promoção perfeita, do casamento dos sonhos, do apartamento de 150 m2, do carro automático, da pós, do mestrado, da volta ao mundo, dos planos de previdência, do inglês fluente ou do mandarim… Como eu já havia dito, depois de tudo, tudinho!

Se eu sou contra isso? Não sou “contra” mais nada, ou ninguém… Só não me peça para não questionar algumas coisas.

Por exemplo, penso eu, como alguém que foi tão focado na vida profissional, em conquistas e objetivos vai saber lidar com um filho? Vai saber lidar com o fato de que ele pode ter o carro mais legal do planeta, a roupa mais linda do universo e mais dinheiro do que o Bill Gates, mas se o bebê estiver doente, ele vai ter de ficar em casa, provavelmente sem sequer pentear o cabelo? Será que vai entender que bebês acordam de madrugada como se fosse meio-dia? Vai acreditar que bebês babam, vomitam, que o cocô nem sempre fica dentro da fralda, que o banho tem temperatura, que um fiapo de lã, ajuda a parar o soluço?

Esses casais com infraestrutura de primeiro mundo, ou mundo perfeito, passam uma vida buscando o sucesso, pra depois… Reaprender a ser gente. Quando o filho nasce o diploma estrelado não vale nada. O que vale é a experiência da sogra. O inglês, não vai ajudar nas canções de ninar, ciranda, cirandinha, só fica bem em português e cochichado ao pé do ouvido. As tabelas em excel não tornarão as coisas mais práticas, uma babá experiente, sim! O lençol de 400 fios não vai garantir um sono profundo, aliás isso vai acabar e não adianta perguntar quanto custa, sono, nesse caso, não está à venda. Pobres, papais ricos…

É como se por castigo, eles não pudessem colher do que plantaram… Conquistaram tanto e agora vivem pra um ser tão pequeno, que não dá importância para nada do que os pais tem, pelo menos não, até assoprar as primeiras velinhas. O bebê não vai pedir referências, mas, vai exaurir até a sua última gota, exigir horas extras, dedicação total, ele fará os horários, não haverá hora certa pra nada, ele não vai demitir você e nem aceitar um pedido de demissão, o choro pode ser uma ordem, ou apenas um pedido de ajuda. Ele é o CEO!

A pergunta é: Queridos casais de sucesso vocês se sentem preparados para o cargo? Olhem no fundo dos seus corações, vocês vão encontrar o que sobrou de quando vocês brincavam de casinha ou forte apache, de quando o melhor momento do dia, era o recreio, de quando dividir um chiclete com o melhor amigo, não era um sacrifício. De quando a mãe de vocês entrava no quarto, no meio da noite, só pra esticar a coberta. É disso que é feita a essência dos bons pais. Eles se candidatam ao cargo, sem saber nada sobre a vaga, inclusive sem carteira assinada. Vão aprendendo o ofício na prática, sem pressa, um dia de cada vez, e sem saber o retorno do investimento! Topa?

 

 

Autor

Marilucy Cardoso

Marilucy Cardoso

Jornalista, mãe, canceriana, nascida em 1973, cheia de histórias para contar e suja algumas panelas nas horas vagas.

Relacionado

Comentários

Nenhum Comentário

Você pode ser o primeiro a comentar este post!

Deixe o seu comentário