Meu filho virginiano!

Meu filho virginiano!

Cancerianos não deveriam se misturar com virginianos. Mas, acontece… Aconteceu comigo e meu filho mais velho, numa sexta-feira 10 de setembro de 1993. Azar o dele, que nasceu com senso de organização, responsabilidade e com um ano já era um

Estou me despedindo do passado…

Estou me despedindo do passado…

O passado deve estar onde está. Atrás do hoje. Eu disse isso? Não acredito, sou canceriana, sempre adorei o que passou, saudosismo é algo que eu poderia até bem pouco tempo, transmitir por gotículas de saliva, tamanha a ligação que

Eles não vão tirar os olhos de você!

Eles não vão tirar os olhos de você!

Sabe aqueles dias em que a gente está precisando ser notada. Precisando que  alguém simplesmente nos siga com o olhar? Não precisa ser um homem lindo de um metro e oitenta e cinco de altura, precisa só, ser alguém que

Eu tô diferente!

Eu tô diferente!

Tenho me percebido diferente e não é de hoje. Há algum tempo isso me incomodaria demais. Porque minhas convicções, com cores de dogmas, não me deixavam voltar atrás, não me deixavam sequer mudar de lugar no meu restaurante favorito, ou

Quando um filho nasce!

Quando um filho nasce!

Agora, que o tempo passou, que os pontos das cesarianas só doem quando vem chuva grossa, consigo enxergar com mais clareza, o que acontece quando um filho nasce. A gente se engana. Sim, mães se enganam. Espero que meus filhos

Eu sou do tempo em que se casava grávida.

Eu sou do tempo em que se casava grávida.

Para cada moça que aparecia grávida, um escândalo. A notícia corria na velocidade da notícia ruim, ou seja, mas rápido do que a famosa velocidade da luz. O rastilho de pólvora ia disparando aquelas pequenas faíscas e a indignação crescia

Tios… Eu tenho um monte. Graças a Deus.

Tios… Eu tenho um monte. Graças a Deus.

Por parte de mãe são oito tios, por parte de pai: Seis. Me sinto extremamente privilegiada. Feliz a pessoa que tem tios. Os agregados são tão importantes quanto os de “sangue”. Até mesmo os que deixaram de ser tios “oficialmente.”

O que leva um adulto a amar o próprio aniversário?

O que leva um adulto a amar o próprio aniversário?

O adulto, no caso, sou eu mesma! Essa semana completei 42 anos, faltou espaço para tanta alegria e sobraram motivos para tantas comemorações. Mas as pessoas me questionam. Querem saber como eu posso dar tanta importância ao meu aniversário, depois

Meninas! Só muda o endereço… Pergunte a outras meninas.

Meninas! Só muda o endereço… Pergunte a outras meninas.

Estava eu pendurada na sacada quando meus olhos se prenderam a uma cena: um pai (jovem), duas meninas, provavelmente irmãs e cada uma segurava uma bola na mão. A dupla se revezava no exercício de jogar a bola para o

É segredo? Não me conte nada.

É segredo? Não me conte nada.

Alguns chamam de segredo, outros de esqueleto no armário, não importa: todos nós temos ou teremos algo que não gostaríamos que viesse à tona. Que alguém ficasse sabendo… Aí é que mora o perigo, o segredo nunca é só nosso,