7 coisas que te faziam sentir importante na infância!

7 coisas que te faziam sentir importante na infância!

A infância é uma roleta russa. Num instante você é feliz, no outro, aquela mesma felicidade te apavora. Quem aqui não amava a bicicleta até o primeiro tombo? Os medos ficam muito grandes, quando se é pequeno. É medo de ficar sozinho, de cair, de apanhar, de perder uma peça do lego, medo de vacina, de escuro, medo que o cachorrinho morra… A lista é enorme! É o início do nosso aprendizado e aprender a viver não é fácil.

O lado bom? Existe e é ótimo!

A infância é quando a gente é feliz com pouco, quando os super-heróis voam de verdade, quando a gente cabe no colo, quando o merthiolate cura, quando a escola não tem prova, a perua pega na porta de casa, quando o despertador não fica no nosso quarto, o café tá na mesa, o almoço e o jantar idem, quando as contas estão pagas… É uma maravilha! Pena que dura pouco e que a memória dessa fase, é curtíssima. A gente se esqueça de quem foi um dia. Da festa de um ano, da babá, do caminho pra creche, do apetite pra comer legumes, do cheiro da avó…

É estranho o que vou dizer. Mas, as crianças morrem! Não há como reencontrá-las, ouvir de novo aquela risada infantil, o choro sentido, os erros de português. Elas crescem e não voltam nunca mais. Ficam presas a fotos amareladas.

Por isso, preserve a memória da infância: Dá trabalho. Mas, vale a pena, pais podem ajudar, amigos, tios e você mesmo. Que coisas faziam com que você se sentisse importante (feliz) na infância? Faça uma lista. Eu fiz!

Escolher o time de queimada na escola!

Era uma momento de glória. Você, montando um time só seu! Os amigos sob sua estratégia. Era melhor do que vencer o jogo!

Andar de cavalinho

O medo tenta nos derrubar. A cabeça quase bate no lustre. Mas, a adrenalina de “crescer tanto” de uma hora pra outra, faz a gente se sentir super importante, vai!?

Tirar as rodinhas da bicicleta 

Demora, mas a gente consegue e quando isso acontece é como se um par de asas brotasse nas nossas costas. Sem rodinhas, o vento muda, a velocidade é outra, trata-se de um primeiro gole de liberdade

Operar a garganta e tomar sorvete o dia inteiro!

Passar por uma cirurgia na infância é automaticamente se transformar no queridinho da casa e quando se trata de uma operação de gargante tem sorvete no almoço e no jantar! E tem folga na escola, isso é o que eu chamo de prestígio!

Ganhar uma aposta!

Quer apostar? Pronto, começava aí uma disputa deliciosa e por qualquer motivo. A aposta era pequena, uma bala, uma moeda… Mas vencer, era divino!

Deixar de ser café com leite!

Eita coisa importante. Quando alguém diz: “Ei, você não é café com leite, não!” Parece que o céu se abre e os anjos caem! Pelas minhas contas, nesse dia a gente cresce uns 12 centímetros…

Primeiro dia de aula, do resto das nossas vidas!

Entrar na escola amadurece, primeiro porque não é fácil e segundo porque você abre ali, uma importante porta para o conhecimento. Vestir o uniforme, escolher a mochila, separar o a material… Ninguém esquece esse dia!

Na verdade, esquece sim, mas a lembrança tá lá, num compartimento trancado, empoeirado e a chave dele, tá por aí! Abra e seja feliz, com quem foi você foi no passado.

 

 

 

 

 

 

Autor

Marilucy Cardoso

Marilucy Cardoso

Jornalista, mãe, canceriana, nascida em 1973, cheia de histórias para contar e suja algumas panelas nas horas vagas.

Relacionado

Comentários

  • Claudia Claudia março 29, em 10:26

    Fiquei emocionada !! Lembrei de tantas coisas deliciosas que só existem na nossa infância! Gratidão Marilucy por trazer minha criança hoje à tona ! 😘

    Responder

Deixe o seu comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.